A jornada da qualidade de software

Imagem de capa do post A jornada da qualidade de software

Sabe-se que o desenvolvimento de software não é uma tarefa das mais triviais, principalmente devido a complexibilidade e intangibilidade deste tipo de produto.  Logo, podem ocorrer fatores indesejáveis ao longo do processo de construção, eis alguns:

  • Projetos excedem os custos pré-estabelecidos;
  • Projetos entregues com atraso;
  • Produtos não correspondem as expectativas dos usuários;
  • Produtos não possui a qualidade esperada;
  • Custos altos com mau funcionamento e manutenção.

Para ajudar as empresas a vencerem esses desafios, principalmente no que se refere a Qualidade de software, criamos uma metodologia chamada Jornada da Qualidade TC, a qual busca melhorar a qualidade desde cedo no processo de construção de softwares, sistemas e aplicativos, pois como é descrito na literatura e comprovado na prática, quanto mais tarde uma falha é encontrada, maior o custo para corrigi-la.

Essa abordagem que criamos na Testing Company é composta por níveis e ações. Os níveis indicam o grau em que a empresa está na busca pela excelência no processo de desenvolvimento. As ações visam a realização do controle da qualidade e fazer com que os produtos desenvolvidos sejam eficientes e atendam às necessidades dos seus utilizadores.

De forma prática, a Jornada da Qualidade é um conjunto de procedimentos aplicados no processo de desenvolvimento com base em um diagnóstico realizado para descobrir em que nível a empresa se encontra de acordo com os processos, ferramentas e pessoas que são responsáveis pela garantia da qualidade dos produtos. Pode ser considerada como uma auditoria de qualidade, realizada por uma equipe independente realizada de forma objetiva.

Posto isso, acompanhe a seguir as etapas que compõem essa jornada e suas características. Vamos lá?

Nível 1 – Insatisfatório

Essa pode ser considerada a situação mais crítica, pois quando identificamos que empresa avaliada se encontra neste nível, significa que uma quantidade além do esperado de defeitos é detectada em produção, gerando reclamações de clientes e retrabalho da equipe, devido a processos inexistentes ou informais de gestão e controle da qualidade.

Nível 2 – Controlado

Neste nível a empresa já conta com alguns processos formais de controle da qualidade e, por esse motivo, uma quantidade reduzida de defeitos são detectados em produção. Mesmo assim, estes podem ser críticos e a busca deve ser pela redução de problemas graves e formas preventivas de detecção.

Nível 3 – Satisfatório

Neste ponto, defeitos críticos são detectados no processo de controle da qualidade e poucos defeitos são encontrados em produção. Nesse contexto, a maioria das empresas avaliadas já implementa ações de melhoria contínua da qualidade.

Nível 4 – Melhoria Contínua

Neste grau de maturidade, nota-se a redução constante de defeitos, os quais a grande maioria são detectados internamente e o foco são procedimentos preventivos e busca intensiva da melhoria contínua.

Apresentados os níveis, cabe destacar que ao avançar entre eles são obtidos resultados bem positivos, tais como:

  • Melhoria da qualidade de processos e produtos;
  • Ganhos de produtividade para a empresa;
  • Diminuição dos defeitos em produção;
  • Aumento da eficiência no desenvolvimento;
  • Acompanhamento contínuo da qualidade e da produtividade;
  • Melhoria na satisfação dos colaboradores e clientes.

Importante ressaltar também, que a aplicação do diagnóstico tem por objetivo, além de identificar pontos fortes e pontos de melhoria, avaliar os aspectos que sustentam os processos de gestão e controle de qualidade das empresas, posicioná-las em um dos níveis e identificar áreas com potencial de melhoria. Já a palavra “Jornada” foi escolhida propositalmente visto que a busca pela qualidade deve ser algo constante e gradativo.

Após a identificação do nível que a organização está, são sugeridas ações de melhoria e, à medida que vão sendo implementadas, estas possibilitam a coleta de métricas para rastrear e medir os avanços obtidos no processo de desenvolvimento em relação aos requisitos de qualidade. Em suma busca-se:

  • Aprimorar o processo de desenvolvimento;
  • Identificar preventivamente e corrigir “bugs”;
  • Adaptar de forma confiável o software a diferentes ambientes;
  • Acrescentar de forma adequada novos requisitos;
  • Melhorar o processo de manutenções;
  • Evitar que modificações façam a qualidade do software regredir.

Quer conhecer essa incrível Jornada com mais detalhes e saber como a sua empresa se encontra no que se refere a Qualidade de Software?

Clique aqui e faça o seu diagnóstico de forma gratuita.

Esta avaliação foi criada a partir de vários anos de experiência no mercado e por sermos uma empresa especializada em gestão e controle da qualidade de software. Temos como objetivo levar a qualidade para empresas e pessoas fazendo com que obtenham os melhores resultados com a sua utilização. Trabalhamos com técnicas, ferramentas e profissionais qualificados com forte atuação e experiência comprovada em projetos de garantia e controle da qualidade.

Compartilhar:
0 Comentários

Deixe seu comentário

Fale AGORA com um de nossos consultores

Comentário adicionado com sucesso