Conheça as diferenças entre Testes Exploratórios e Ad-hoc

Imagem de capa do post Conheça as diferenças entre Testes Exploratórios e Ad-hoc

Testes são uma parte essencial do processo de desenvolvimento de software, pois ajudam a identificar defeitos e garantir a qualidade do produto final. Existem diferentes abordagens de testes, incluindo testes exploratórios e testes ad-hoc. Embora esses termos sejam usados de forma intercambiável às vezes, eles têm diferenças distintas em sua abordagem e propósito.

Testes Exploratórios

Os testes exploratórios são uma abordagem de teste em que o testador atua como um "explorador" do software, investigando e avaliando o sistema de forma ativa. O testador utiliza sua experiência, conhecimento do domínio e habilidades técnicas para identificar possíveis defeitos e comportamentos inesperados do software. 

Quando falamos de testes exploratórios, muitas vezes é presumido que o testador irá acessar o software e navegar por ele sem nenhum preparo ou planejamento prévio, contudo, essa visão é errônea, visto que para uma execução correta do teste exploratório é necessário pensar de antemão o que será testado e a maneira em que se fará essa exploração do sistema.  

Testes Ad-hoc

Existe, porém, um tipo de teste que se enquadra bem nessa definição informada anteriormente. Conhecido como ad-hoc, esse teste é normalmente realizado sem ser planejado, sem base em uma documentação, caso de teste ou design de tela, sendo definido como um teste informal de software.  

O que se deve a essa confusão e troca a respeito desses tipos de teste é exatamente o fato de eles serem extremamente semelhantes: Ambos são baseados na experiência do testador e a execução é indicada quando o projeto não possui especificação de requisitos ou existe pouco tempo disponível para teste, além de serem recomendados quando há baixo conhecimento do software a ser testado. 

Embora muito parecidos, esses tipos de testes possuem uma diferença muito clara quanto se trata da forma de execução. O ponto principal que os diferencia é o fato de que para um teste ser considerado exploratório sua execução deve possuir um propósito e ser planejada antecipadamente, definindo o que será testado, de que forma será feito e quanto tempo será disponibilizado para cada etapa. Desta forma, a busca e descoberta dos bugs será direcionada e sistêmica.  

Em contraponto, o teste ad-hoc trata-se de um processo improvisado e não estruturado, realizado sem uma estratégia evidente, onde os bugs são localizados por acaso e de forma acidental conforme o testador for mexendo aleatoriamente no sistema, indo de acordo com sua intuição e experiência.

Características Teste Exploratório Teste Ad-hoc
Abordagem Estruturada e planejada Informal e não planejada
Objetivo Explorar o software de forma adaptável Testar de forma casual e sem uma abordagem organizada
Documentação Pode ter documentação formal Geralmente tem pouca ou nenhuma documentação formal
Feedback Tende a ser imediato, com registro detalhado dos resultados Pode ser menos imediato, com registro informal dos resultados
Probabilidade de falhas no processo Menor ocorrência de falhas no processo de teste Maior incidência de falhas no processo de teste
Probabilidade de encontrar falhas Erros encontrados rapidamente e de forma metódica Erros encontrados ao acaso, podendo deixar passar alguns bugs sem serem notados

Dentre as vantagens de se utilizar testes exploratórios ou ad-hoc, podemos citar que são extremamente úteis para encontrar bugs rapidamente e que ambas possuem o intuito de aprimorar e apoiar a garantia da qualidade do software. Decidir qual tipo de teste executar vai depender muito da necessidade e do momento de cada projeto específico, por isso é necessária uma prévia avaliação com um profissional especialista para compreender se a execução destes testes realmente vai de acordo com a demanda do software ou se é relevante avaliar uma outra metodologia existente.  

É importante ressaltar que ambas as abordagens têm suas vantagens e desvantagens e podem ser adequadas em diferentes contextos de teste. A escolha entre teste exploratório e teste ad-hoc dependerá dos requisitos do projeto, dos recursos disponíveis, do nível de formalidade, da documentação necessária e do objetivo específico do teste. É fundamental compreender essas diferenças para selecionar a abordagem mais apropriada para o seu projeto de teste e garantir a qualidade do software testado.

A equipe da Testing Company é qualificada para escolher e atuar na prática com o melhor método de teste de acordo com o escopo de cada sistema. Fale com um consultor e descubra como alcançar e garantir a qualidade em seus projetos de software.

Compartilhar:
0 Comentários

Deixe seu comentário

Fale AGORA com um de nossos consultores

Comentário adicionado com sucesso