Conheça a importância de Testes no Setor Financeiro

Imagem de capa do post Conheça a importância de Testes no Setor Financeiro

A cada dia a evolução tecnológica aumenta tornando corriqueiro o uso de softwares e aplicativos na rotina das pessoas e empresas, incluindo o setor financeiro e bancário. Neste sentido, esse âmbito torna-se um dos mais visados no que se refere a tentativa de fraudes e invasões. Isso ocorre principalmente por lidar com grandes valores monetários diariamente, o que atrai a atenção de quem procura brechas e oportunidades de falsificações e golpes.

Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), foi revelado que as instituições financeiras tiveram um aumento de 80% nos ataques através de e-mails de phishing em 2022. Portanto, ressalta-se a importância da realização de testes das aplicações destes segmentos para diminuir as possibilidades de invasão e gerar mais consistência e segurança aos sistemas, pois é inviável as empresas alcançarem grandes resultados e, em contrapartida, sofrerem frequentemente ataques que podem afetar suas receitas, lucros e perenidade no mercado.

Seguindo essa linha, em 2018 foi publicada a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), a qual diz respeito a diversas diretrizes para a coleta, armazenamento e processamento de informações pessoais de clientes, fazendo com que diversas organizações tivessem que adequar a forma que manipulam as informações pessoais dos consumidores garantindo a integridade e privacidade dos mesmos.

Diante desse cenário, listamos abaixo algumas das principais abordagens de teste de software recomendados para serem aplicados em instituições financeiras e bancárias sendo estas:

  1. Testes de segurança: são imprescindíveis quando se trata de empresas monetárias. Com eles, busca-se garantir que os sistemas são menos vulneráveis e suscetíveis a ataques. 

  2. Testes automatizados: esses testes auxiliam na automatização das rotinas de validação gerando agilidade e rapidez na execução dos procedimentos de QA que seriam realizados de forma manual.

  3. Testes de fluxo: garantem que os fluxos das operações são executados de forma correta validando a integração entre serviços.

  4. Testes de carga: avaliam se o sistema é volátil a grandes cargas de informações sendo recebidas ao mesmo tempo.

  5. Testes de performance: geram métricas para averiguar a performance dos sistemas, analisar a escalabilidade e recuperação de falhas e estabilidade.

  6. Testes nas API’s: validam a integração entre os serviços simulando cenários reais do sistema garantindo com isso o funcionamento coerente das integrações.

  7. Regras de negócio: outro ponto que merece ser enfatizado é a necessidade de testes nas regras de negócio da instituição financeira controlando a qualidade dos sistemas no que se refere às suas regras de negócio e operação.

  8. Testes Funcionais: esse tipo de teste avalia as funções dos sistemas para verificar se atendem às necessidades dos seus usuários finais.

Sistemas de validação em duas etapas, sistemas de OCR que validam documentos, sistemas que analisam risco de fraude em documentos, são outros exemplos de serviços de empresas bancárias os quais devem ser independentes e não serem comprometidos.

Como foi abordado neste texto, é de suma importância a aplicação de testes nos processos empresariais quando falamos de instituições financeiras, instituições de créditos e bancos com vistas a garantir e manter as operações destas instituições. Ademais, é preciso se manter atento às mudanças que ocorrem com frequência no setor e que impactam nessas organizações monetárias.

Gostou do artigo?
Conte com a Testing Company para ajudar sua empresa a controlar e manter a qualidade de softwares, sistemas e aplicativos.

Compartilhar:
0 Comentários

Deixe seu comentário

Fale AGORA com um de nossos consultores

Comentário adicionado com sucesso